Projeto Brotherhood: Woslom é sangue thrash queimando nas veias!

Fala rocker, tudo bem?

Já parou pra pensar na loucura que são esses festivais de heavy metal independente que acontecem (principalmente) na Europa?

Esses dias estávamos por aqui conversando sobre esse universo paralelo, povoado por bandas brasileiras que fazem as malas e vão tocar no Velho Mundo.

O que a princípio parece só uma aventura louca tem muito fundamento essas bandas tem se saído incrivelmente bem nessa.

Tem público, apoio, incentivo e headbangers de sobra. Ruim pra gente aqui, que ficamos órfãos desses talentos, mas bom demais pra esses brasileiros que ganham o mundo!

Pensa comigo, você é uma banda brasileira de metal que sofre pra caralho pra tocar por aqui. Por quê? Porque falta tudo! 

É aí que você resolve reservar uma grana e sair em turnê pela Alemanha, Polônia, Áustria, França, República Tcheca e onde mais houver um metalhead de braços abertos pra te receber.

Adicione aí algumas bandas locais, outras brasileiras que abraçaram a mesma empreitada e pronto: está armado um cenário totalmente diferente, onde você é que é a banda gringa da vez!

É inegável que a aceitação do metal por lá é bem maior que aqui. Se nós somos o país do samba eles são simplesmente o país do metal (pois é, eu sei o que você está pensando agora).

Mas isso explica muita coisa, principalmente esse circuito extremamente bem consolidado para bandas de metal, com festivais muito bem estruturados e com muito público. 

E falando em festivais, aqui a coisa fica ainda mais impressionante.

O verão europeu é onde os tais open air começam a rolar. São diversos eventos pipocando nessa época, com gente que se programa o ano inteiro só pra esse momento. Calma, vai ficar melhor!

Quer receber gratuitamente histórias e curiosidades do Rock n Roll?

>

Existem os festivais mais underground, com bandas menos conhecidas, e os famosos que chegam recheados de bandas consagradas, como é o caso do tradicionalíssimo Wacken, por exemplo. Só uma palavra define: monstro!

Tanto em uma situação quanto em outra os festivais são muito bem organizados, com estrutura completa pra quem está acampando (que ainda é o jeito mais legal de curtir!) e até um tratorzinho que joga serragem pelo evento inteiro quando chove, para não ficar aquela piscina de lama. 

Claro que, graças aos muddbangers (os rockers que literalmente amam chafurdar na lama), a missão do tratorzinho quase sempre fracassa.

Você vai entender melhor isso tudo dando uma olhada nesse vídeo que eu encontrei. O canal do cara é dedicado a contar as experiências que ele tem nos festivais de metal no Brasil e mundo afora. Esse episódio cobre o Metal Days, que acontece em julho na Eslovênia. Dá uma olhada:

Pois é, tem até um rio cristalino que desce do degelo das montanhas!

Nem tudo são flores e as dificuldades para as bandas que resolvem se aventurar pelos lados de lá são grandes. Mas é fato que existe uma rota muito bem organizada e consolidada pra que isso dê certo. Assim, os frutos colhidos nessa correria são geralmente muito bons.

Uma banda que pode falar com propriedade sobre tudo isso é também a nossa mais nova escolhida pra ter sua camiseta edição limitada, o Woslom.

Riffs absurdamente rápidos e pesados, uma voz tão potente e marcante quanto as de James Hetfield e Dave Mustaine em seus tempos áureos, linhas de baixo que fazem os seus músculos tremerem e uma bateria matadora. Poderia ser a quinta banda do Big 4, ein? Deixa eu sonhar, cara!

Ouve esse som, recém-saído o mais novo álbum da banda:

O Woslom embarca para a sua quarta turnê europeia no mês que vem (isso mesmo, a QUARTA!) pra divulgar o lançamento do mais novo trabalho deles, A Near Life Experience. Tá matador, juro!

Posso dizer com sinceridade, pois estou ainda me recuperando do show de lançamento desse álbum, que rolou na última quinta-feira na sala pocket-show do Estúdio Espaço Som apenas para convidados.

No caminho pra lá eu já via uma galera no metrô com a camiseta do Woslom (mal sabiam eles que a camiseta mais foderosa da banda já estava a caminho). Cheguei por volta das 20h e já estava com uma fila gigantesca na porta. Detalhe: o show começava só às 21h!

O clima já era de ansiedade geral, fila de show é contagiante por natureza, não tem como!

MOMENTO FÃ: Apesar da fila imensa, ainda deu tempo de fazer um click com os caras minutos antes de começar o show. Da esquerda pra direita temos aí Demiro Ferrari (o penetra), André Mellado (baixo), Rafael Iak (guitarra), Vitor Rossellini (este que vos fala), Silvano Aguilera (vocal, guitarra) e Fernando Oster (bateria).
MOMENTO FÃ: Apesar da fila imensa, ainda deu tempo de fazer um click com os caras minutos antes de começar o show. Da esquerda pra direita temos aí Demiro Ferrari (santo rocker), André Mellado (baixo), Rafael Iak (guitarra), Vitor Rossellini (este que vos fala), Silvano Aguilera (vocal, guitarra) e Fernando Oster (bateria).

Quando entramos na sala e vimos aquele palco montado ficou ainda mais difícil de segurar a ansiedade, mas não demorou muito pra eles subirem e soltarem o petardo.

Era uma massa sonora que arrepiava e ao vivo tudo fica ainda mais impressionante. Não é à toa que o Woslom tem tamanho respeito da crítica especializada. Tocaram o álbum novo inteiro, na íntegra, cravando aquela quinta-feira na história. 

Álbum novo, turnê internacional quase começando. Será que falta alguma coisa? 

Vou dar a dica: é monstra, é exclusiva e é edição limitada. É isso aí mesmo o que você está pensando. Começa agora a pré-venda da Santo Rock Signature Series Woslom!

ATENÇÃO, o lançamento funciona assim:

  • A camiseta fica no site por apenas 15 dias, encerrando a venda dia 02/05/16, às 23h59.
  • Pedidos contendo esse item serão postados somente no dia 23/05/16.
  • Importante ressaltar que essa é uma edição limitada, ou seja: não deixe passar a chance de garantir a sua, pois não há um reprint programado.

Vamos ouvir o novo, dar valor às centenas de bandas que temos em nosso cenário independente, que dão o sangue todos os dias pra fazer um trabalho de qualidade. Você pode fazer parte dessa revolução com um click.

Achou que acabou? Não, pera… Tem mais!

Sobraram ainda duas chances de ver o Woslom ao vivo antes de partirem em turnê:

  • Dia 22/04 no Hangar 110, junto da banda espanhola Angelus Apatrida e da Red Razor de Santa Catarina. Mais informações aqui.
  • Dia 24/04 no Rock na Praça, evento gratuito junto da Torture Squad, John Wayne e Sinaya. Mais informações aqui.

Vamo pra cima!

Quer receber gratuitamente histórias e curiosidades do Rock n Roll?

>

About Demiro Ferrari view all posts

Entre seus grandes feitos já enfrentou uma multidão pra ver os Rolling Stones em Copacabana e dirigiu de San Francisco a Los Angeles só pra conferir uma banda cover do Doors no Whiskey a Go Go. Lamenta não ter visto James Brown ao vivo e acredita que os vícios fazem parte das virtudes assim como os venenos dos remédios.

2 Comments Join the Conversation →

  1. Elvis Masson

    nunca tinha ouvido falar dessa banda… envergonhado agora, banda muito massa, curti prakct!!! ahh e essa model é muito linda!!

    Reply
  2. coupon codes american girl shipping

    What’s up DJ? This is Par just checking in man. Really good website! Keep up the work and remember getting healthy is a marathon not a sprint. God bless you and yours.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *