Rock Shots: Você sabe qual a ligação entre Pantera, KISS e Nirvana?

 

E aí, rocker! Tudo bem?

Inspirados em uma brincadeira do nosso happy-hour, lançamos na semana passada a primeira edição da nossa série especial, a Rock Shots. A ideia é desvendar ligações entre bandas, músicas, discos, eventos, cidades… enfim, curiosidades das mais diversas que, aparentemente, não possuem relação alguma.

Pra dar uma apimentada, resolvemos esconder algumas ofertas secretas de curtíssima duração ao longo das histórias. Demais né? Então se liga só no que preparamos hoje:

Qual a primeira coisa que te vem à cabeça quando o assunto é o Pantera?!

Não tem como pensar em Pantera sem vir à cabeça alguns (dos zilhares e brutais) riffs de guitarra de Dimebag [fucking] Darrell sendo martelados pela batera de seu irmão, Vinnie Paul.

Uma característica comum em vários sons da banda é uma introdução com o que parece metal rasgando metal furiosamente e te avisando que você será brutalmente castigado e vai gostar disso.

Foto icônica do Pantera no lançamento do Cowboys From Hell (1991), álbum que abriu as portas do mundo para groove metal feito pela banda.
Foto icônica do Pantera no lançamento do Cowboys From Hell (1991), álbum que abriu as portas do mundo para groove metal feito pela banda.

Mas o Pantera nem sempre foi assim tão rude e violento, sonoramente falando. Existiu uma fase esteticamente glam rock, com o vocalista Terry Glaze que durou até os primórdios de Phil Anselmo, ainda com seu questionável permanente loiro oxigenado.

Os integrantes do Pantera ainda em sua fase Metal Magic (Sim, são eles). Da esquerda pra direita: Dimmebag Darrel, Rex Brown, Phil Anselmo e Vinnie Paul
Os integrantes do Pantera ainda em sua fase Metal Magic (Sim, são eles). Da esquerda pra direita: Dimmebag Darrel, Rex Brown, Phil Anselmo e Vinnie Paul

Essa fase mais hard-rock-couro-cabeleira da banda certamente tem a ver com a paixão que Dimebag e companhia nutriam pelo KISS. Sim, é isso mesmo, rocker.

Dimebag Darrell sempre foi fanático por KISS, e um de seus maiores ídolos era justamente o guitarrista Ace Frehley.

Em 1997, o Pantera abriu a turnê Alive/WorldWide Tour, do KISS na América do Sul e México e, para celebrar o rolê com os heróis de infância, resolveram pintar seus rostos como os integrantes do KISS de acordo com seus papéis na banda.

Dimebag Darrell frente ao espelho pintando a máscara de Spaceman, do guitarrista Ace Frehley da banda KISS
Dimebag Darrell frente ao espelho pintando a máscara de Spaceman, do guitarrista Ace Frehley da banda KISS

Essa turnê marcou a volta da formação original do KISS (com Gene, Paul, Ace e Peter) e das maquiagens dos personagens.

Apesar de tudo conspirar a favor, o KISS teve que mostrar seu lado B mais comportado e sóbrio, em respeito a Ace que vivia um período de abstinência na época. “Rock n Roll All Nite and Party Everyday” era realmente apenas uma música do setlist.

Sessão de fotos para a capa do Dressed Up To Kill (1975) com o fotógrafo Bob Gruen
Sessão de fotos para a capa do Dressed Up To Kill (1975) com o fotógrafo Bob Gruen

E falando em lado B do KISS e “Rock n Roll All Nite and Party Everyday”, você sabia que essa música, um dos maiores hinos do Rock é na verdade um lado B da banda?

Capa do álbum Dressed Up to Kill (1975). A banda aprontou uma "pegadinha" com a gravadora e o público, colocando a principal música de trabalho do disco na última faixa do lado B.
Capa do álbum Dressed Up to Kill (1975). A banda aprontou uma “pegadinha” com a gravadora e o público, colocando a principal música de trabalho do disco na última faixa do lado B.

Rock And Roll All Nite é a última faixa do Dressed Up to Kill (1975). As bandas, na época, reservavam o lado A (do vinil) para canções com maiores expectativas de tocar nas rádios e fazer sucesso.

Dentre as dez faixas (5 em cada lado), Rock And Roll All Nite foi justamente a única do álbum que se destacou no mainstream fonográfico, consagrando-se como um verdadeiro hino.

Agora, quer ver a gente ir ainda mais fundo? Lado B do KISS de verdade é o cover raro de “Do You Love Me” gravado por ninguém menos que Nirvana. Alguém sabia que o Kurt Cobain era chegado em KISS?

Kurt Cobain, durante o Unplugged MTV (1993), e Gene Simons do KISS (imagem ilustrativa)
Kurt Cobain, durante o Unplugged MTV (1993), e Gene Simons do KISS (imagem ilustrativa)

O som foi lançado pela gravadora Blue Moon, num tal Outcesticide, que são álbuns secretos com vários bootlegs do Nirvana de músicas que não foram aceitas pelas gravadoras e com outras versões ao vivo.

Dentre elas, a primeira versão de “Stay Away” (Nevermind, 1991), ainda com o título de “Pay To Play ” (Pagar Para Jogar/Tocar), som em que Cobain diz “I’d rather be dead than cool” (“Prefiro estar morto que ser legal”).

Os caras do Pantera eram fãs de KISS e acabaram descolando uma turnê junto de seus ídolos, que viviam naquela época um período careta que enterrou temporariamente o estilo de vida “Rock n Roll All Nite and Party Everyday” quase tão bem quanto a versão secreta que o Nirvana fez dessa mesma música. Cara, que viagem louca hein, diz aí?

Ficamos curiosos para saber como você continuaria essa história? Escreve pra gente e conta.

Mas antes, deixa só a gente te dar um último aviso: essas condições estarão disponíveis por apenas 24h. Recomendamos que você tire pelo menos 1 minutinho para dar uma olhada!

About Santo Rock Roadies view all posts

A equipe Santo Rock é composta por pessoas apaixonadas pelos valores e ideais da cultura Rock n Roll. São rockers que, movidos por uma paixão incondicional, acreditam que o Rock n Roll é uma das manifestações artísticas e culturais mais poderosas que existe, uma força visceral capaz de transformar vidas e mundos.

0 Comments Join the Conversation →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *