1 ano sem Lemmy Kilmister

Saiba o que mudou de lá pra cá e confira os últimos passos da lenda


Fala, rocker! Tudo certo?

Há exatamente 1 ano, o mundo dava adeus a um dos maiores nomes do Rock N Roll: Ian Fraiser Kilmister, o nosso eterno Lemmy.

No começo do ano, a Santo Rock publicou as 7 lições mais inspiradoras de Lemmy Kilmister (vale a pena a leitura), texto que inspirou o mágico Felipe Barbieri, do canal Magic N Roll, a produzir esse vídeo aqui:

Com seus 70 anos de idade completos na véspera do Natal de 2015, Lemmy tinha em seu currículo mais de duas mil mulheres e algumas gotas de sangue em seu álcool correndo pelas veias. Mas a vida de rockstar não era motivo de real orgulho para ele.

Não existe certo e errado. Você precisa que quebrar as regras

O que o fez de Lemmy Kilmister a lenda amada e admirada por todos foi sua incrível trajetória como músico desde a época em que foi roadie de Jimi Hendrix até o sucesso com o Motörhead, e sua personalidade forte, escancarada em frases épicas, como a famosa “Born to Lose, Live to Win” (“Nasça para perder, Viva para vencer”).

O legado de Lemmy o imortalizou. Hoje, a gente faz uma retrospectiva dos últimos passos do músico e as mudanças na cena Rock N Roll em um ano que se passou sem o grande Lemmy Kilmister. Bora conferir? Se liga!


 Os últimos passos da lenda

A última aparição de Lemmy Kilmister

Semanas antes de morrer, Lemmy gravou um comercial para a companhia Valio.

A agência de publicidade Hasan & Partners, responsável pelo comercial, transformou o vídeo em um tributo ao músico.

No vídeo, Lemmy ironiza: “I don’t drink milk… and I never will… you asshole!” (“Eu não tomo leite, e eu nunca vou tomar… seu cuzão!”), ao som da valsa “Danúbio Azul”, de Johann Strauss.


A última canção tocada

A última canção tocada ao vivo por Lemmy com o Motörhead foi o violento sucesso Overkill, encerrando um show realizado em Berlin, em novembro de 2015, pouco antes da morte do músico.


A última entrevista

A entrevista concebida ao canal alemão ZDF em 20 de novembro de 2015 foi a última vez em que Lemmy conversou com a imprensa.

 


O que mudou de lá pra cá?

Desde o dia 28 de dezembro de 2015, muita coisa aconteceu. E hoje, há exato 1 ano sem Lemmy Kilmister, traçamos essa retrospectiva pra você conhecer e relembrar estes momentos marcados pela partida do músico.

O fim do Motörhead

No dia seguinte à morte de Lemmy, o baterista Mikkey Dee confirmou o fim da banda que redefiniu o peso do heavy metal.

Mikkey disse “Acabou, é claro. Lemmy era o Motörhead. Mas a banda seguirá viva na memória de muitas pessoas. Nossa marca sobrevive e Lemmy vive nos corações de todos”.


Mikkey Dee, o novo baterista do Scorpions

Oficialmente anunciado no dia 12 de setembro, Mikkey Dee continuava sua jornada musical ao lado dos novos companheiros de banda com o Scorpions, que soltou uma nota dizendo:

“Depois de nossos incrivelmente bem sucedidos shows nos EUA, Europa e Asia, temos certeza de que encontramos um grande baterista em Mikkey Dee. Ele traz uma nova energia para a banda e aguardamos ótimos tempos pela frente“.


Rock N Roll de pai pra filho

Com o fim do Motörhead, o guitarrista Phil Campbell também deu continuidade em sua vida musical. No dia 15 de setembro, Phil anunciava sua nova banda, a Phil Campbell and The Bastards Sons, que conta com os três filhos do guitarrista – Todd, Dane e Tyla -, mais o vocalista Neil Starr.


Não é mais Jack and Coke… agora é THE LEMMY!

Menos de 20 dias após a morte de Lemmy Kilmister, seu drinque favorito mudou de nome em sua homenagem.

A revista Food & Beverage nomeou oficialmente o Jack and Coke como The Lemmy. A mudança, inclusive, já consta na Wikipedia.

Ou seja, a próxima vez que você for pedir um Jack Daniels com Coca-Cola, não peça um “Jack and Coke”… peça um “The Lemmy”! (Bora tomar um hoje em homenagem ao mestre? rs)


Para sempre em seu lugar favorito

No dia 25 de agosto deste ano, o Rainbow Bar & Grill  famoso bar de Los Angeles e local preferido de Lemmy Kilmister – inaugurou uma estátua do músico em sua homenagem que permanecerá para sempre no local.

No documentário biográfico de 2010, intitulado “Lemmy“, o Rainbown é apresentado quase como uma segunda casa de Kilmister.


Uma homenagem à altura que somente o Metallica seria capaz de fazer

O clipe de “Muder One” do Metallica traz uma animação em homenagem a Lemmy Kilmister.

No clipe, Lemmy aparece atravessando uma rua pela Sunset Strip (em Los Angeles, uma das capitais do Rock N’ Roll homenageadas em nossa summer collection Cities on Fire) com seu clássico baixo Rickenbacker em frente ao Rainbow Bar & Grill, seu lugar favorito para tomar um “Jack & Coke“, o drink que foi oficialmente batizado de The Lemmy“.

A letra desse som traz várias referências a Lemmy, como “Born to Lose, Live to Win” e “Aces”, além de o clipe narrar a trajetória do grande mestre desde os primórdios, quando foi roadie de Jimi Hendrix.

Um tributo como esses só poderia mesmo ter sido feito pelo Metallica!


Conheça nossas homenagens exclusivas a Lemmy Kilmister e ao Motörhead


Um abraço, rocker!

LIVE TO WIN

(Muito obrigado, Lemmy!)

About Caio Latorre view all posts

Um verdadeiro colecionador de curiosidades. I can't get no satisfaction! Lennon disse: "a genialidade é um tipo de loucura". Sejamos insanos em nome do amor ao Rock n Roll. Prazer, Latorre! "O café tá pronto?"

1 Comment Join the Conversation →

  1. Matheus Tavares

    E esse post é a altura de uma lenda como o Lemmy!! SENSACIONAL!!!

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *