Sem perder o fôlego: o show do Metallica no Lollapalooza

Fala, rocker! Tudo certo?

Sábado agora, dia 25 de março, rolou o tão aguardado show do Metallica no Lollapalooza, em São Paulo. E a apresentação provou que aos 36 anos de carreira, o Metallica segue chutando bundas em sua melhor forma.

Atual e verdadeiro

Há cerca de um mês e meio, quando revelamos o provável setlist do Metallica, já eram grandes as expectativas para a apresentação que uniria clássicos da banda às inéditas do Hardwired… To Self-Destruct – mais recente álbum de estúdio do Metallica.

Como sempre, o público cantou em uníssono junto à emocionante e clássica abertura “The Ecstasy of Gold” (de Ennio Morricone) até o playback com a introdução de “Hardwired” dar a deixa para a banda entrar de forma explosiva, levando o público ao delírio. E como não?

Lars e James durante o show matador no Lollapalooza (Crédito pela foto: Sergio Castro / Estadão)

Entre as 10 primeiras músicas, foram apresentados 5 clássicos e 5 inéditas em perfeito equilíbrio. Inclusive, foi no décimo som que a banda revisitou seu álbum de estreia, o furioso clássico Kill’m All (de 1983), com “Whiplash”. Hetfield dedicou a canção ao Rancid, devolvendo a gentileza do vocalista e guitarrista Lars Frederiksen, que havia prestado uma homenagem ao Metallica durante seu show.

Quando os holofotes do pop brilharam para o metal

Por mais que a apresentação do Metallica (sem Lady Gaga) parecesse não se enquadrar aos palcos da última edição do Lollapalooza – evento predominantemente marcado por atrações da cena pop, ficou evidente a razão da banda estar em voga e ser a maior atração da noite.

James Hetfield abraçou o público do Lollapalooza à família Metallica (Foto por Camila Cara/MRossi)

Além do talento óbvio dos integrantes e da qualidade técnica do espetacular show do Metallica (toda a produção de luzes, projeções de palco e equalização sonora), um grande diferencial foi a presença de palco de James Hetfield.

Não importa de onde você veio e quem você veio ver. Agora vocês fazem parte da família do Metallica. Bem-vindos! (James Hetfield)

frontman não apenas ignorou estar tocando em “terras inimigas” como fez questão de promover a diversidade ao acolher todos os que lá estavam, fossem estes os tradicionais “headbangers de camisetas pretas” ou os típicos “memes de Lollapalooza” e suas tiaras com chifres de unicórnio e outros looks bizarros.

Surpresas no setlist

Das 18 músicas apresentadas, acertamos 14! Em relação ao setlist que havíamos previsto, a banda tocou “The Memory Remains” no lugar de “Fuel”, “Harvester of Sorrow” no lugar de “Wherever I May Roam”, não tocaram “Confusion” mas mandaram “Whiplash”, e tocaram “Battery” no lugar de “Fight With Fire” (no bis).


Na íntegra

Introdução clássica com The Ecstasy of Gold (de Ennio Morricone) + trecho de Hardwired em playback (só pra aquecer durante a entrada da banda)

1. Hardwired

2. Atlas, Rise!

3. For Whom the Bell Tolls

4. The Memory Remains

5. The Unforgiven

6. Now That We’re Dead

7. Moth Into Flame

8. Harvester of Sorrow

9. Halo on Fire

10. Whiplash

11. Sad but True

12. One

13. Master of Puppets (seguida pelo solo do Kirk de “Leper Messiah”)

14. Fade to Black

15. Seek & Destroy

Bis:

16. Battery

17. Nothing Else Matters

18. Enter Sandman


E a gente quer saber:

Você também estava lá, rocker? O que você achou do setlist e do show do Metallica?

Deixe nos comentários! ; )


A Santo Rock lançou 4 camisetas exclusivas e insanas do Metallica no começo do ano. Você já conhece todas elas? Corre lá pro site e confira a linha completa!


Um abraço!

About Caio Latorre view all posts

Um verdadeiro colecionador de curiosidades. I can't get no satisfaction! Lennon disse: "a genialidade é um tipo de loucura". Sejamos insanos em nome do amor ao Rock n Roll. Prazer, Latorre! "O café tá pronto?"

22 Comments Join the Conversation →

  1. Bianca Toledo

    Eu tava lá, a energia q os caras emanamé surreal, fui tb no rock in rio 2015 e tava babando com a espera desse cd novo, e foi super recompensada, faixa a faixa eu identifiquei a alma deles. agora, qnto ao show de sabado, só posso dizer q foi épico, lindo, não me canso de ouvi-los e de pular e gritar pra eles, e pelo q o Lars falou ao final do show, eles vao voltar em breve, e eu vou estar lá esperando 😉

    Reply
    1. Caio Latorre

      É, Bianca… serei sincero: QUERO UM SHOW SÓ DO METALLICA MUITO EM BREVE!
      Vi os caras em 2014, no Morumbi, e PUTAQUEOPARIU… que show! hahaha
      Bom… o Lars já deu a letra, né? Vamos aguardar, né? rs

      Um abraço!

      Reply (in reply to Bianca Toledo)
  2. Carina

    Eu estava lá bom sabado. Apesar de ser super fã do Metallica, eu nunca havia visto um show deles e simplesmente amei. Pulei o todo. O James é incrível, eles são ótimos, e com certeza não deixarei de ir no próximo show quando eles voltarem! Ah! E eu estava com a minha camiseta do Santo Rock!

    Reply
    1. Caio Latorre

      Ah, Carina, não acredito! Sério?! Porra, primeiro showzaço do Metallica e de Santo Rock no peito? ANIMAL DEMAIS!
      Se tiver foto, manda pra gente!
      Foda demais que você curtiu! Também… não tem como não, né? hahaha
      Agora vamos aguardar pelos próximos!

      “Gimme fuel, gimme fire, gimme that which I desired!”

      Um abraço!

      Reply (in reply to Carina)
  3. Mariana Hetfield

    Foi sensacional o show! Setlist maravilhoso, James sendo muuuito simpático, energia total!
    Muito o bom o texto, Caio e Santo Rock, só corrijam aí, que eles não tocaram Confusion; foram 5 músicas do Hardwired… To Self-Destruction, mas Confusion não foi uma delas 😉

    Reply
    1. Mariana Hetfield

      Foi sensacional o show! Setlist maravilhoso, James sendo muuuito simpático, energia total!
      Muito o bom o texto, Caio e Santo Rock, só corrijam aí, que eles não tocaram Confusion; foram 5 músicas do Hardwired… To Self-Destruct, mas Confusion não foi uma delas 😉

      Reply (in reply to Mariana Hetfield)
    2. Caio Latorre

      Primeiramente, adorei o sobrenome, Mari! HAHAHA sensacional!]
      Pode crê! Ironicamente, fiz uma pequena “confusão” aqui haha mas já corrigi. Valeu o toque!

      Abração!

      Reply (in reply to Mariana Hetfield)
      1. Mariana Hetfield

        Legal, Caio, acontece, e o blog é sempre tão bom que a gente quer ajudar quando pode 🙂

        (pois é, sou uma filha perdida do James aqui no Brasil haha assino assim e todo mundo já me conhece com esse nome rs :D)

        Beijos!

        Reply (in reply to Caio Latorre)
  4. Danielle M.Trevizam

    EU ESTAVA LÁ… Eu e meu marido estavamos lá e fomos ao delírio sim, fomos ao Rock in Rio em 2015 e lógico Metallica estava ótimo, mas agora eles estavam demais pareciam que não queriam ir embora a empolgação deles estava á 200% dava para sentir a vibração,Muito F….

    Reply
    1. Caio Latorre

      Pode falar, Danielle. MUITO FODA PRA CARALHO MESMO! hahahaha

      Podia ter um por mês 😛

      Reply (in reply to Danielle M.Trevizam)
  5. Maria Fernanda

    Foi surreal!!! O som estava perfeito! Setlist incrível, mas senti falta de Wherever I may Roam. Amei seu comentário sobre os “headbangers de camisetas pretas” ou os típicos “memes de Lollapalooza” . Público muito diferente de festival / show de rock, mas valeu muito, valeu cada minuto!

    Reply
    1. Caio Latorre

      Ah, eu também curto MUITO “Wherever I May Roam”. Ela tem aquela coisa meio “mística das Índias” haha acho sensacional! Mas “Harvester of Sorrow” também é uma paulada! Inclusive, aqueles action figures (o que é só um eufemismo pra “bonequinhos” hahaha) do Metallica (sabe?! uns que tem o Jason ainda) são da turnê Harvester of Sorrow – uma das mais icônicas.
      E, sim! Um público bem diversificado, por assim dizer, né? hahaha Mas tá valendo. Se é pra ver Metallica, tô lá! Com Lady Gaga, tocando Load, Reload, St. Anger… curto demais! hahaha

      Um abraço!

      Reply (in reply to Maria Fernanda)
      1. Maria Fernanda

        Muito diversificado…e jovem! No dia que fiz 38 anos estava me sentindo uma das mais velhas de lá : D
        Adoro a letra de Wherever… vc já pensou em escrever textos sobre letras de músicas?! Song meanings…seria demais! Sempre li, reli e pesquisei várias… Fica a dia, adoro seus textos! Abs!

        Reply (in reply to Caio Latorre)
        1. Caio Latorre

          Já pensei, sim! Também curto demais entender alguns significados ocultos. Inclusive, não sei se você curte Pink Floyd, mas escrevi esse aqui pela Santo Rock: http://blog.santorock.com/2016/08/23/another-side-of-pink-floyd/

          Poxa, obrigado demais pelas palavras, Maria Fernanda! Adoro quando a galera interage 🙂 Suas dicas foram anotadas e serão providenciadas! 😀

          Reply (in reply to Maria Fernanda)
  6. Willian Higa

    Já fui a muitos shows do Metallica. O melhor de todos, impagável, foi o de 89. Vê-los bêbados, tocando errado e depois entrando no ritmo de 15 mil fanáticos no Ibirapuera, por mais de 3 horas é inesquecível.
    Este show, contudo, mostra a maturidade do Metallica. Hammet revolucionou sua guitarra e Atlas Rise é um novo clássico por causa disso. Disco que puxa riffs e arranjos de discos clássicos, mas que reforça que a experiência faz diferença frente ao virtuosismo. Tocar devagar, lento, não significa não ser Metallica. E ser heavy, é ser Sad But True. Emocionante ver que depois de 32 anos continuo me comovendo com a minha banda predileta. Não gosto de todos os discos e músicas, mas o que importa é sempre o todo. E saindo do punk, passando pelo Thrash, metais de todas as cores e new metal ou grunge, continuamos agindo como loucos, porque nós somos Metallica!!!

    Reply
    1. Caio Latorre

      Caraca, Willian… falou e disse! Animal, cara!
      Concordo com tudo o que você disse.

      E que inveja… esse show de 89 eu não fui, porque tava nascendo hahahaha Mas uns amigos meus falam exatamente a mesma coisa, que os caras tavam fazendo a festa e esse era o espírito.

      Falando nisso, eu gostei muito do que o James falou em entrevista ao Fantástico sobre a influência da tecnologia (e da praticidade em se registrar os shows hoje em dia, mais especificamente) em como as pessoas participam dos shows hoje em dia. Você chegou a ver? Se não, está aqui: https://youtu.be/HTreX56D42Y

      Abração, Willian!

      Reply (in reply to Willian Higa)
  7. emerson estefano

    eu estava la , mais uma vez desde de 89, todos os shows guardo os ingressos eu vou aos shows do metallica no eixo rio são paulo e quando eu compro o ingresso de um novo show eu volto na mente todos os shows que fui e eles continuam com o mesmo pique ( desta vez ate o kirk com um solo devastador brincou com a camera coisa que ele nunca fez ) agora fico no aguardo para 2019 completar 30 anos de show do metallica , espero voces la .

    Reply
    1. Caio Latorre

      Gosta pouco, hein Emerson! HAHAHA
      Demais, cara! Eu também guardo todos os meus ingressos, souvernirs e afins rs
      Espero que você esteja certo e que em 2019 a gente tenha a oportunidade de vê-los novamente. Como será que a banda estará até lá? Vamos ver! haha

      Abração!

      Reply (in reply to emerson estefano)
  8. Simone

    Estava lá, colada na grade e foi o melhor dia da minha vida!

    Reply
    1. Caio Latorre

      “Inveja” resume meu sentimento, Simone. HAHAHA
      Pô, na grade?! Que foda! Parabéns 😀
      Ficou mais pro meio ou na direção de algum deles?

      Reply (in reply to Simone)
  9. Ari Silveira dos Santos Filho

    Não vai rolar texto sobre o show do Rancid?

    Reply
  10. Júlio Farias

    Então, Caio, não estava lá, mas assisti pela TV e até consegui ficar suado de tanto que vibrei com a energia! Estive no show deles em 2013 no Rock in Rio e felizmente posso dizer que já fui e sei como é! Metallica é uma de minhas favoritas, mas não é por isso que sou suspeito de falar, os caras fazem jus! Setlist estava perfeita, assim como o álbum! Simplesmente Metallica! Parabéns pelo blog, por toda a dedicação a esse cenário maravilhoso que é o rock! Abraços!

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *